A nova era digital. O reflexo do home office nas atividades negociais.

A nova era digital. O reflexo do home office nas atividades negociais.

Repentinamente, a forma como muitos negócios operacionalizavam mudou. Drasticamente milhares de pessoas passaram a operar via home office, se socorrendo dos mecanismos virtuais para desempenhar suas funções, seja via videoconferência, seja por transmissão de arquivos digitais, e etc.

A advocacia já vinha a alguns anos, ainda que mediante resistência de alguns, forçando a implementação do Processo Judicial Eletrônico (PJE) com o acesso ao judiciário pela via eletrônica, com a inserção de petições e documentos digitais, facilitando o acesso ao judiciário.

No quesito documentação, já estava sendo muito aplicado o certificado digital que vem garantindo a autenticidade da assinatura de documentos eletrônicos, sob a rubrica do antigo “reconhecimento de firma”, presencialmente, feita em cartório.

Por toda essa esfera digital, muitos dos escritórios de advocacia já tem sistema de gestão implementado, com documentação e andamentos de pronto acesso, o que a muito já vem facilitando o desempenho da atividade do advogado.

Ante ao avanço gradual da tecnologia, o legislador enxergando a crescente utilização das vias digitais, através da LGPD ( Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018), em momento oportuno estabelece diretrizes para resguardar a segurança de dados e a privacidade na internet que, desde já, vem ocasionando uma séria de mutação nas empresas (face as obrigatoriedades e sanções previstas em lei ¹).

Mas a corrente migratória dos meios físicos aos eletrônicos de muitas atividades vinha gradualmente sendo amadurecida de forma pontual, quando, ao piscar de olhos, surgiu a pandemia do Coronavirus (COVID-19), e da noite para o dia empresas, autônomos, servidores públicos, funcionários e prestadores de serviços se viram obrigados a trabalhar via home office, e buscar o desempenho de suas funções laborais sem sair de casa.

Eis que saímos da ênfase do segmento da advocacia, e adentramos da esfera empresarial de um modo geral, onde prevalece cálculo da operalização do negócio, como custo de estrutura (água, luz, condomínio, internet, e etc), da própria operação (produção ou compra e venda), com pessoal (funcionário ou terceirizado), e da tributação envolvida.

Ao atravessar a barreira de 1 (um) mês do período de isolamento pôde-se perceber que a presencialidade deu vez a produtividade, e não mais se contam horas, mas a quantidade/qualidade do conteúdo entregue. Poder ser o momento crucial para os serviços terceirizados, ou até mesmo para adequação do emprego à distância.

E quanto ao setor imobiliário? Será ponderado custos com ocupações de espaços caros e amplos, sendo privilegiado o espaço essencial para desempenho do mínimo, com operação remota.

Por sua vez, parte do capital destinada a ocupação será certamente empregada no gerenciamento empresarial da equipe, que passará a trabalhar a distância, na segurança da informação (Face a adequação da LGPD), e no marketing.

Enfim, ainda estamos no período de muita incerteza.

O que se sabe ao certo é que após a turbulência sempre vem a bonança, e ao fim da pandemia, quando os ânimos se acalmarem, ficará a percepção da melhor utilização do tempo, seja para trabalho com o cultivo do tempo produtivo, seja para desprender tempo para passar com a família, de cuidado com a saúde e com o próprio lazer.

Mas, sem sombra de dúvidas, entramos em novo momento. Uma “nova era digital”, em que certamente se passará a ser adotado o critério “custo benefício” da presencialidade, onde o cálculo do deslocamento, do tempo depreendido, do automóvel utilizado e de espaços desnecessários serão ponderados.

__________________________

¹ A vigência da LGPD inicialmente prevista para 24 meses após a sua publicação, que até então está para dia 14 de agosto de 2020, tem o projeto de lei 5762/19 em trâmite na câmara dos Deputados para prorrogação de mais 2 (dois) anos, o que prorrogaria sua vigência para o dia 14 de agosto de 2022.

Autor: Vitor Tompson. Advogado, fundador do escritório Tompson Advocacia.

© Tompson Advocacia | 2019 | Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Diogo Costa.

× ATENDIMENTO VIA WHATSAPP